[ editar artigo]

14 dúvidas sobre métricas respondidas por Rafael Kiso, da Mlabs

14 dúvidas sobre métricas respondidas por Rafael Kiso, da Mlabs

Como aumentar o alcance de um post? Ou usar hashtag na publicação realmente funciona? Se você trabalha com redes sociais e criação de conteúdo, provavelmente, já teve essas (e outras) dúvidas. Afinal, o mundo os algoritmos ainda é obscuro para muita gente e muda com bastante constância, não é mesmo?

Para facilitar a sua vida, convidamos o mestre das métricas e estratégias, Rafael Kiso, para uma Live em nosso Instagram (que você confere aqui). As perguntas que não foram respondidas ao vivo, nós enviamos para o Rafa e ele respondeu a seguir: 

*Dica: tem muito insight bacana, então, leia até o final. 

 

1. Como descobrir quais os assuntos mais buscados nas redes sociais?

O primeiro passo é olhar no Google Trends. Depois, dê uma olhada no SEMrush, coloca a palavra-chave do seu negócio e descubra quais são as palavras-chaves mais buscadas sobre o assunto. Pesquise também no “o que está mais quente” ou “trending” no YouTube, busque informação nos TT’s do Twitter. Geralmente, o que está “quente” no momento é o que as pessoas estão buscando mais. No blog do Pinterest, por exemplo, todos os meses eles revelam as palavras-chaves mais buscadas. Tudo isso pode servir de inspiração para a sua criação de conteúdo. 


2. Como aumentar o engajamento no youtube?

As dicas são muito parecidas em todas as plataformas: collabs, hashtags em títulos e sempre fazer uma pergunta ou gerar uma discussão para que as pessoas comentem. Procure, ao longo do vídeo, interagir com as pessoas e não somente no final. Outro ponto de atenção: distribuição. Não publique o vídeo e espere um milagre! Compartilhe o link em outros canais, principalmente WhatsApp, que funciona bem. Espalhe a mensagem. 


3. Qual a melhor forma de enviar o mídia kit para parceiros?

Eu acredito que a melhor forma é mandar um link online para que o anunciante acesse os dados em tempo real. Com isso, você garante transparência nas informações e também visual mais moderno. Você pode fazer uma Landing page, que se atualiza sozinha, com depoimentos de marcas que trabalham com você e até um vídeo de apresentação. Eu acho seria muito mais atrativo do que mandar algo estático em pdf. Quem é cadastrado na Squid pode fazer o seu mídia kit pela plataforma e gratuitamente


4. O que seria um bom engajamento?

Falando de Instagram, uma pesquisa da Localwise, realizada em janeiro de 2020, mostrou que, para contas do tipo business, a taxa de engajamento média global é de 1.49% — independente do tipo de post. Para um post no formato vídeo, essa taxa é de 1.87%. No formato foto, ela é de 1.11%. Eles também revelaram a taxa média de comentários por número de seguidores. Post do tipo vídeo recebe 0.06% de comentários. E no caso das fotos, a taxa média de comentários por número de seguidores, fica em 0.08%. No HypeAuditor, é possível comparar a sua a taxa média de engajamento com a de pessoas semelhantes a você (número de seguidores parecidos). 

 

5. Qual a porcentagem de engajamento considerada boa para feed e stories?

Vocês podem usar o parâmetro da Localwise, que falei na pergunta 4. Tudo que estiver acima dos valores citados, está acima da média e isso é muito bom. Eu, por exemplo, tenho 1.98% de engajamento médio nos meus posts. O que vejo no mercado, contas com taxas de engajamento públicas acima de 2% ou 2,5% têm uma taxa de engajamento muito boa. Lembrando que perfis menores tem um engajamento maior. Essa taxa que eu estou fornecendo aqui é muito baseada numa média global. Pensa que existem faixas de engajamento por faixas de números de seguidores. 


6. Mesmo ganhando novos seguidores por dia, meu alcance está menor a cada foto que posto. Alguma dica?

Se você está aumentando o número de seguidores, isso é sinal de que está aumentando o seu alcance, o que é bom. O importante é não proporcionar o alcance com o número de seguidores que você tinha antes. Isso vai diminuindo mesmo, por causa do distanciamento causado pelo grande números de seguidores. É natural que o alcance diminua, porque existe mais concorrência. O conteúdo é sempre o melhor aspecto para você melhorar o alcance. Se você só posta foto de lifestyle, por exemplo, entendeu o jogo errado. Você pode se considerar um criador de conteúdo e influenciar por consequência desse trabalho. E não o contrário. 


7. Como aumentar o alcance das publicações?

Usar hashtags em posts e stories, de 5 a 7 por publicações, e sempre pensar nas mais precisas e nichadas (para trazer audiência qualificada!). Outras boas opções para aumentar o alcance: fazer collabs, conteúdo compartilhável e útil (que ajude as pessoas a economizar tempo!), uso de emojis nas legendas — sem ser abusivo, porque ele retém a atenção e humaniza as legendas, chamar as pessoas para algum debate nos comentários (faça perguntas dentro do contexto) e marcar pessoas que estejam relacionadas ao conteúdo das publicações. Vale lembrar que utilizar as hashtags na legenda costuma render mais do que no primeiro comentário.


8. Alguma dica para quem é criador de filtros?

Fazer collabs e criar filtros em parceria com influenciadores já ajuda a repercutir o seu trabalho. Outra solução interessante: oferecer esse serviço para as marcas. Elas querem fazer filtros para entrar em conversas e, esta, é uma boa opção no momento. Minha dica: fazer o primeiro trabalho grátis para conseguir divulgação. Depois você vai conquistando novos clientes. Aposte também em posts 3D e 360 (Facebook) isso pode funcionar bem.


9. Quando pensamos em vendas no Instagram, quais são as principais métricas a serem analisadas?

Como eu disse na Live Squid, toda jornada é baseada em 5 passos: awareness; consideração, conversão, experiência própria e experiência compartilhada. As métricas e os indicadores de performance são praticamente os mesmos em qualquer canal, seja Instagram, Facebook, WhatsApp. Venda é uma métrica que está ligada à conversão, ela está localizada no meio das cinco etapas citadas acima. Neste caso, a taxa de conversão é o principal indicador de performance que você deve olhar. 

Analisando as etapas anteriores, no awareness você precisa alcançar o maior número de pessoas possíveis dentro do seu público-alvo. Então, o principal é entender onde elas estão. Se estiverem no Instagram, faça mídia lá para que você apareça no feed do seu público-alvo. Neste caso, você vai olhar como principal métrica o alcance dentro das pessoas que você deseja atingir. Ex: Se o seu público-alvo for 1 milhão de pessoas, então, você deve colocar como meta tentar alcançar esse número. Essa é a principal métrica. Já o principal indicador de performance de awareness é o tal do brand lift, que é famosa a lembrança de marca. 

Na segunda etapa de consideração, você precisa olhar como métrica a frequência, para justamente fazer com que as pessoas lembrem de você mais vezes e aumentem, inclusive a intenção de compra. Neste caso, a frequência é importante e isso aparece no gerenciador de anúncios para o Instagram. 

As duas últimas etapas estão relacionadas com engajamento. Nelas, você precisa olhar para número de interações que recebeu diretamente (comentários), analisar a saudabilidade deles, para entender o sinal que essas pessoas estão oferecendo: neutra, positiva ou negativa.  E, na última etapa, experiência compartilhada, você precisa entender quantas pessoas marcaram outras pessoas na postagem ou compartilharam o seu post. Justamente para entender o quanto a sua mensagem está sendo propagada ao longo da sua jornada. 

Se você observar o número de visualizações de um Stories e a quantidade de pessoas alcançadas ali, pode ser um bom indicador da etapa de consideração. Por isso, eu recomendo fazer conteúdos exclusivos para quem já é cliente e colocá-los na lista de “melhores amigos”, para que você entenda especificamente o tipo de interações nesses conteúdos exclusivos. 


10. Como diminuir o CPA no Facebook ADS?

A melhor maneira de você diminuir o Custo de Aquisição ou Custo por Lead, é ter uma maior relevância no seu criativo do seu anúncio. O Facebook, subdividiu o índice de relevância em basicamente 3 partes: índice de relevância do objetivo que você escolheu para a campanha, o índice de relevância criativo e o índice de relevância de conversão. Essa avaliação ou “nota” vai de 0 a 5, e quanto mais próximo de 5 melhor. O que vai fazer com que, na equação do leilão, você consiga ter um melhor desempenho, mesmo que o seu concorrente esteja pagando mais caro pelo custo por aquisição.

Você deve buscar sempre aumentar a relevância destes três indicadores. Além disso, para diminuir o CPA, você pode melhorar a sua segmentação (às vezes, a escolhida está atingindo as pessoas erradas) ou criativo. Às vezes, você até segmentou corretamente, no entanto, a sua peça não tem um CAT (Call to Action) ou falta um apelo que faça com que as pessoas prestem atenção. 

Dica: teste variações da sua peça e sempre mantenha os testes rodando. Coloque, no mínimo, duas versões de criativos no ar e dentro do mesmo grupo. Veja o que performa melhor. O próprio Facebook vai entregar mais aquele com a melhor performance. Dê uma pausa no que não está desempenhando tão bem e crie uma terceira opção de peça para concorrer com aquela que está performando melhor. Dessa forma, você sempre vai manter um teste no ar. Mantenha sempre aquela que tem o melhor desempenho, ok? Geralmente, o que performa melhor em termo de conversão são imagens estáticas, não vídeos. 


11. Quais são as melhores métricas para apresentar no relatório para o cliente?

Considere que existem as métricas e os indicadores de performance. As métricas, a gente fica de olho para acompanhar a evolução (ou não). Os indicadores, a gente reporta para o cliente. Ex: A gente conseguiu fazer frequência (esse número é fornecido dentro do gerenciador de anúncios) 8 dentro do período da campanha e isso aumentou o nosso brand lift de 5 mil pessoas para 15 mil pessoas. Ou a nossa taxa de conversão estava em 2%, agora, está em 10%.  

É importante sempre mostrar a evolução. Se você colocar somente a métrica, ela é um número. É claro que determinadas métricas você precisa manter no relatório, pois não adianta mostrar a taxa de conversão, mas não mostrar quantas vendas efetivamente aconteceram. Mas, sempre opte por destacar a taxa de conversão e não a métrica. A não ser que esse número seja espetacular.

Saudabilidade também é legal evidenciar. Contar para o cliente: olha, nós tivemos uma taxa de engajamento acima da média do mercado (no HypeAuditor você consegue ver a média) e a nossa saudabilidade está em 85%. Lembrando que a saudabilidade mapeia os comentários e analisa se eles são positivos, negativos ou neutros. Elimina os neutros e vê a relação entre positivos e negativos. Tem que estar mais do que 70% para que no report você fale que a saudabilidade está excelente.

Quantidade de recomendações e propagação da mensagem: você vai reportar quantos compartilhamentos, quantas marcações aconteceram e o quanto de receita isso trouxe. Você consegue mensurar esse tipo de resultado em campanhas que utilizam cupons, por exemplo. 

Dica: você pode colocar métricas, desde que destaque os indicadores de performance. 


12. Como diferenciar se o engajamento  diminuiu pelo conteúdo ou por fatores externos?

Geralmente, é mais uma questão relacionada ao conteúdo do que aos fatores externos. E como que você vê isso? Se o seu post de hoje performar melhor do que o de ontem, provavelmente isso é uma questão de conteúdo e não de fatores externos (horário, disponibilidade, concorrência - outros posts mais relevantes postados ao mesmo tempo que o seu).

Mas não pense você que os fatores externos não importam! O bom desempenho de um post também depende do horário que você postou, se as pessoas estavam online consumindo conteúdo, se você estava lá naquele momento para interagir com elas e também depende muito da reação dos seguidores. É essa reação que faz com que o seu post passe pelo primeiro filtro dos algoritmos, mostrando que ele é importante. 

Lembrando que o conteúdo deve sempre ser estimulador, ter algum nível de moeda social para fazer com que as pessoas queiram compartilhar, marcar alguém ou mesmo gerar um debate. Só o “like” não é tão forte para que ele passe pelo filtro dos algoritmos. Não é só postar uma foto bonita. Isso não estimula as ações mais fortes e valorizadas pelo algoritmo  (comentários e debates).

É sempre muito bom manter uma planilha para você pontuar e acompanhar os tipos de conteúdo que performam melhor e os que não funcionam para o seu público. Quais foram os fatores quentes nesse dia e que tipo de relação eles têm com o seu público? 


13. Quais são as reais utilidades das hashtags e como não deixar de aparecer nos feeds? 

Antes de tudo, preciso esclarecer que existem hashtags e tags. No caso do Instagram, utilizamos as hashtags. No YouTube, temos as duas coisas. Falando especificamente do instagram, a hashtag ajuda você a alcançar mais pessoas que não te seguem, porque muitos usuários seguem as hashtags e muitas pessoas clicam numa hashtag pra ver o que estão postando/ acontecendo. Resumindo: Usar hashtags faz com que o seu conteúdo se propague mais.

Por isso, minha recomendação é utilizar hashtags mais específicas e não tão amplas. Caso contrário, suas publicações vão aparecer para um monte de gente que não tem interesse naquilo (impressões vazias). A partir do momento que você interage com conteúdos que possuem aquelas hashtags, o Instagram entende que aquilo é relevante e começa a mostrar isso no discovery. 

No YouTube, as tags te ajudam a falar com os robôs da plataforma e as hastags a falar com o próprio humano. Você pode colocar no título do vídeo a hashtag de um evento, por exemplo. Se todo mundo está falando sobre aquilo ou está procurando sobre, ao colocar a hashtag logo no título você facilita o processo de descoberta.

As tags ajudam o buscador. Então, não use hashtags fora do contexto, caso contrário você poderá ser penalizado. Se você criar uma hashtag própria com o seu nome, colocar em todos os vídeos, ao final, o próprio YouTube pode, potencialmente, indicar outros vídeos seus.  


14. Editar a legenda após a publicação do post prejudica o alcance?

Em minha opinião, isso é um certo mito e explico logo mais. O que acontece: sempre que você posta um conteúdo, ele é enviado para uma certa amostra de pessoas. Se tem um bom desempenho, o Instagram começa a mostrar para mais pessoas. Se você alterar a legenda, ele passa a mostrar aquele conteúdo para outras pessoas. De repente, com isso, você pode ter perdido aquela aceitação inicial do algoritmo. Em tese, se você muda a legenda, mudou o conteúdo. Então, ele deveria fazer novamente o teste. Isso pode atrasar e criar um looping de teste no seu post, que definitivamente, pode diminuir o seu alcance e engajamento. 

Então, seguindo a lógica que eu expliquei, editar a legenda é um risco, pois o seu conteúdo pode não ser tão bom quando o primeiro. E, as pessoas que interagiram podem não estar mais online… e por aí, vai. 

Agora, por que eu acredito que isso seja um mito? Porque se o conteúdo é bom, ele passa no segundo teste e continua sendo entregue para o restante dos usuários. Eu conheço pessoas que fizeram o teste (editar a legenda) e conseguiram uma performance até melhor no post.

Veja a Live Squid completa:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Squid (@squiditapp) em

 

 

#ClubedaInfluência
Maria Lúcia Zanutto
Maria Lúcia Zanutto Seguir

Analista de Marketing da Squid

Ler conteúdo completo
Indicados para você