[ editar artigo]

BBB21: Quem tem medo de ser cancelado?

BBB21: Quem tem medo de ser cancelado?

Recentemente, o termo cultura do cancelamento ganhou holofote nas redes sociais e destaque no BBB 21, mas a prática é muito mais antiga do que a própria internet. Entenda o que é a cultura do cancelamento e se é possível ser “descancelado”


No dicionário, a palavra “cancelar” significa tornar (algo) nulo, sem efeito, sem valor. Agora, no universo da internet, dos famosos e dos influenciadores, o que isso representa? O cancelamento, em si, é um boicote que, muitas vezes, é ocasionado por um discurso de ódio e de raiva. Ele pode acontecer após uma atitude ou fala que vão contra o que a maioria acredita ser o correto. 

A cultura do cancelamento não é algo novo. Se pararmos para analisar, ela sempre existiu em nossa sociedade, mas com outros nomes como linchamento e boicote, por exemplo. Em 2019, a expressão ganhou destaque, especialmente por conta das polêmicas envolvendo influenciadores digitais e famosos. 

A nova edição do reality BBB (Big Brother Brasil) nos mostra que essa cultura é nociva para todos, afinal, boa parte dos participantes revelou que possui receio de ser “cancelado”, perder oportunidades de trabalho e, acima de tudo, que erros são, cada vez menos,  passíveis de compreensão.

Quem tem medo de ser cancelado? Todo mundo, porque no ambiente digital é como se a pessoa não existisse. É justamente por isso que o termo ganhou ainda mais popularidade no reality BBB 21. Quem aqui, camarote ou pipoca, gostaria de inexistir no ambiente digital e perder oportunidades? Provavelmente ninguém. 

Não à toa, o apresentador Tiago Leifert abriu o famoso “Jogo da Discórdia” com a frase: “Todo mundo sabe o que é um cancelado, né? Todos nós já fomos tantas vezes… Mas, e o cancelador, quem seria ele? Cancelador é aquele que o céu se abre e ele desce para ensinar você, de cima pra baixo, como você deve viver a sua vida, o que deve fazer, onde  errou e como ele é melhor do que você”.

A discussão levantada pelo reality nos faz pensar como muitas vezes o cancelamento diz mais sobre o cancelador do que o cancelado e que a cultura do cancelamento polariza, divide e não unifica. 

O que acontece após o cancelamento?

As pessoas que são impactadas sofrem de diversas maneiras, o psicológico fica abalado, elas perdem sua relevância e são ignoradas. 

Por isso, é muito importante falar sobre a cultura do descancelamento. Ela também existe, mas é um processo que precisa estar relacionado com uma mudança de comportamento. Se a pessoa foi cancelada, entendeu que errou e deseja se redimir, precisamos dar a oportunidade de ela se descancelar.

“Quando você vê uma mudança genuína de comportamento, talvez, não exista motivos para continuar cancelando atitudes e comportamentos”.

Talvez seja, sim, a hora de cancelar a tal cultura do cancelamento, ter mais empatia com o próximo e ter em mente que errar é humano. Ninguém está aqui para vigiar e punir, mas para aprender e evoluir.


OBS: É importante ressaltar que o cancelamento não deve ser utilizado para inviabilizar causas criminosas. Se a pessoa foi racista, transfóbica, xenofóbica ou cometeu algum crime, ela precisa ser responsabilizada por seus atos e responder judicialmente.  

 

Foto: Divulgação/TV Globo 

 

#ClubedaInfluência
Maria Lúcia Zanutto
Maria Lúcia Zanutto Seguir

Oi, eu sou a Malu - Analista de Marketing da Squid

Ler conteúdo completo
Indicados para você