[ editar artigo]

Criatividade e saúde mental: entenda a relação entre elas e crie projetos melhores!

Criatividade e saúde mental: entenda a relação entre elas e crie projetos melhores!

Quem nunca ouviu as expressões: “Pensar fora da caixa”, “Open Mind” ou “Saia da Zona de conforto”? Todas elas são convites para despertar a criatividade existente em nós. E, apesar de parecer simples, na prática não é bem assim. 

A criatividade está entre as competências mais valorizadas atualmente e muito se fala sobre ela em qualquer ambiente, seja profissional ou pessoal. Agora, na prática, o que isso significa? Bom, podemos ser criativos em grandes criações ou na solução de problemas do dia a dia. Em todos esses momentos a criatividade é utilizada. 

Todo ser humano é potencialmente criativo, mas sua manifestação está relacionada ao processo de desenvolvimento que ele teve, como estímulos aos quais foi exposto, ambiente encorajador da curiosidade, incentivo a exploração de ideias, tolerância ao erro, abertura ao diálogo e autonomia.

A criação de um ambiente que facilite o estímulo da criatividade tem sido tão valorizada, que muitas empresas investem na reforma dos seus espaços corporativos, deixando-os mais abertos, com mais plantas e cores, mobília com puffs e almofadas, salas de descanso e jogos, alimentos e guloseimas, enfim, uma série de medidas que possibilitem a implementação de uma cultura corporativa com mais cooperação, abertura e diálogo.



No caso dos influenciadores, a criatividade é a principal matéria prima para a criação de conteúdos, campanhas e projetos. Por isso, eles, assim como as empresas, devem priorizar processos de criação saudáveis e um ambiente estimulador. Isso porque o combo pode garantir grandes efeitos na saúde física, mental e emocional e trazer impactos positivos no processo criativo. 

Falta de concentração, irritabilidade, excesso de preocupação, insônia, cansaço físico e mental podem ser indícios de que algo não está certo. Estes sintomas certamente irão impactar a vida da pessoa e influenciar diretamente na criatividade. 

Artistas e criadores de conteúdo já relataram o quanto a depressão e a ansiedade prejudicam seu processo criativo e os afastaram do trabalho. A escritora Adélia Prado por exemplo, relatou que a depressão a retirou por alguns anos da produção de suas obras. Viu só como uma coisa está ligada com a outra?

Como psicóloga, percebo os sentimentos de medo, insegurança e o excesso de autocrítica presentes nos relatos sobre a falta de criatividade. Vejo o quanto a necessidade de aceitação do outro compromete nossa espontaneidade e autenticidade.

Dica: o olhar do outro é importante sim, somos seres que nos constituímos na relação, mas temos a nossa individualidade e precisamos equilibrar os pesos que damos para o que você e os outros pensam.

Tive algumas experiências interessantes com atletas e times de eSports, que em momentos de frustração pela derrota em campeonatos, começavam a questionar  sua capacidade  e potencial.

As queixas giravam em torno da falta de criatividade e previsibilidade nas jogadas, medo de errar, autocobrança por resultado, pressão dos haters. 

Olhando, aqui, apenas para a questão da criatividade, era perceptível a insegurança, o medo de ousar e dar errado, a preocupação de ser culpado pela derrota. Sentimentos capazes de travar qualquer jogador nos momentos de competição e que aumentam a ansiedade eo estresse, gerando uma tensão muito maior e que comprometia a saúde mental e emocional.

Seja lá qual for sua ocupação, o fato é que a nossa saúde mental e emocional nos deixa mais inteiros e abertos para a criatividade e para a vida. E a boa notícia é que a criatividade pode ser desenvolvida e o nosso cérebro estará sempre ávido para esse experimento.

E, então, eu pergunto: você tem vivido no automático ou se proporcionado diferentes vivências e aprendizados? O que tem feito de novo e de diferente? 


Quanto mais estimulamos e diversificamos nossas experiências mais ampliamos as conexões e capacidade de resposta do nosso cérebro. A receita é estimule-se e exercite seu cérebro!

Aproveite as técnicas e métodos, como escrever as ideias, colocá-las em prática ou ler livros, para desenvolver a sua criatividade e colocá-la em prática. Isso será um bom exercício de autoconhecimento para encontrar o seu melhor jeito de funcionar. 

Diante de bloqueios ligados ao comprometimento da saúde mental, busque um psicólogo para te ajudar com seus sentimentos.
 

Lembre-se: sua saúde mental influencia na qualidade do seu conteúdo!


Um beijo e até a próxima!

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato comigo: grazi.squidit@gmail.com

*Créditos da imagem: Giphy

 

#ClubedaInfluência
Graziela Cirino Cabral
Graziela Cirino Cabral Seguir

Psicóloga (UNIMEP), com Formação Clínica na Abordagem Centrada na Pessoa e Orientadora Profissional e de Carreira. Já atuei com atendimento psicológico e desenvolvimento profissional de atletas, times e influenciadores da área de games e eSports.

Ler conteúdo completo
Indicados para você