[ editar artigo]

Lívia Nunes: a jovem do interior baiano que conquistou o Youtube

Lívia Nunes: a jovem do interior baiano que conquistou o Youtube

 

De Irecê para o mundo. É assim que a criadora de conteúdo Livia Nunes se descreve nas redes sociais. Nascida na pequena cidade do interior da Bahia, em 2015 ela se mudou para São Paulo em busca de estudo e trabalho, mas nunca havia imaginado em se tornar uma influenciadora na internet. Desde cedo, ajudava o pai nas plantações de café e chegava a passar o dia colhendo para ganhar R$15. “Eu trabalhava na roça, meu pai tinha carrinho ambulante, mas a nossa renda nunca foi suficiente para sustentar a família toda. Como minha mãe já estava em São Paulo, resolvi mudar em busca de algo melhor. Eu queria muito um trabalho com carteira assinada”, explica. E foi no ambiente de trabalho, Lívia se dividia entre dois empregos diferentes, que ela descobriu sua veia artística para comédia. 

Com o incentivo dos colegas, em 2017, começou a gravar os primeiros vídeos, no banheiro de sua casa e sem nenhuma produção. E não é que, do dia para a noite, a brincadeira virou coisa séria? Bastou o YouTube recomendar um de seus vídeos para ela atingir os espetaculares dois milhões de visualizações. O famoso vídeo “Tirei a definição do cabelo cacheado” foi o start na nova vida da influenciadora. Confira o vídeo a seguir:

Em 2019, resolveu se dedicar ao trabalho de YouTuber. Pediu demissão dos dois empregos e começou a levar o canal a sério. “Eu não sabia que era possível monetizar os vídeos, não tinha nem ideia de que conseguiria me sustentar pelo YouTube”, revela. Livia só percebeu que estava no caminho certo quando viu o dinheiro entrar na conta. Não demorou muito para a placa de 100K inscritos ser conquistada. Hoje, são mais de 230 mil inscritos no YouTube e 74 mil seguidores no Instagram. 

Autêntica e espontânea, Livia faz questão de incluir o humor em todos os conteúdos produzidos. A influenciadora também aborda temas como beleza, cabelos cacheados e referências à cultura nordestina, especialmente gírias e vivências de sua infância. “Sempre que falo algo ou penso em algum vídeo, eu quero que exista proximidade com o meu público”, explica. Identificação e afinidade com a audiência, segundo ela, são as chaves para ser um bom criador de conteúdo.

Outro ponto levantado por ela é a dificuldade ao se trabalhar com humor sendo mulher. “O humor é mais difícil para a mulher, muito mais difícil A gente estava acostumado a ter referências como Tiririca, Shaolin e, hoje, vemos uma quebra nesse padrão”, diz. A influenciadora afirma que muitas mulheres estão entrando no Stand-Up, algo quase inexistente no passado. Sua principal referência atualmente é a humorista GKay, uma figura importante no cenário digital e está abrindo portas para outras mulheres.  

E, aí, pivete. Vocês tão barril?
É desse jeito, bem autêntico, que Livia inicia a conversa em quase todos os vídeos postados — e já virou seu bordão nas redes sociais. “Em minha cidade natal, as pessoas me abordam na rua e elogiam os meus vídeos, mas ainda não caiu a ficha sobre o poder da minha influência”, conta. A visibilidade ficou ainda maior após Lívia aparecer na matéria do Jornal Hoje, da Rede Globo, sobre o Jovem 2020: a geração que nasceu no ano 2000

“Eu estava visitando o meu pai quando a jornalista me mandou mensagem avisando que a matéria seria veiculada. Sai na rua e fui chamando todo mundo pra assistir. A família toda se reuniu. Fiquei famosa na cidade”, brinca. Para Lívia, a exposição em rede nacional serve como um incentivo para que outras meninas, especialmente de Irecê, nunca desistam de seus sonhos e se sintam representadas. “Quem me acompanha nas redes sociais vê que eu falo bastante de lá. É tipo o Whindersson Nunes, que levou o Piauí para o Brasil todo, sabe? É isso que eu quero: levar Irecê para o mundo, fazer com que as pessoas conheçam mais a minha cidade”, afirma. 

Mostrar suas origens e falar sobre representatividade são temas importantes para Lívia. Sempre que consegue, ela produz algum vídeo utilizando a músicas regionais, mostra danças típicas, como o “piseiro” e utiliza gírias. “Eu sempre falo muito do nordeste e, pra minha sorte, muitas pessoas gostam e dizem que represento muito bem a minha região”, afirma. Já no quesito representatividade, a criadora de conteúdo se diz feliz em ver influenciadores cacheados, negros, nordestinos, mas afirma que não são todas as marcas que apostam na diversidade. “Eu gostaria muito de ver uma dona de casa fazendo propaganda de produto de limpeza”, enfatiza. 

Reality do Lucas Rangel: Qual o próximo Youtuber de Sucesso?
No início de 2020, Livia foi uma dos oito youtubers selecionados por Lucas Rangel para participar do reality “Qual o próximo Youtuber de Sucesso?”, veiculado no Youtube. Mesmo deixando a competição na terceira etapa, ela acredita que a experiência foi muito rica e importante para o seu crescimento como criadora de conteúdo profissional. “Foi uma oportunidade muito legal, ganhei conhecimento e bastante visibilidade. Além disso, descobri novas amizades e consegui fazer coisas que eu nunca tinha feito antes, como andar de avião”, diz. O programa também foi responsável pelo considerável crescimento dela no Instagram, de 30 mil seguidores em pouquíssimo tempo.  

 

 

Para ser um bom influenciador é preciso…
Antes de tudo, de acordo com Livia, é preciso manter uma relação próxima com os seus seguidores — sim, a audiência precisa se identificar com tudo o que ela fala ou, pelo menos, achar engraçado. Depois, você precisa fazer o que gosta e ter muita força de vontade. “Não adianta fazer algo por dinheiro ou para ficar famosa. O seu celular pode ser até simples, você só precisa ter um bom conteúdo e vontade de fazer”, revela. 

 

 

#ClubedaInfluência
Maria Lúcia Zanutto
Maria Lúcia Zanutto Seguir

Analista de Marketing da Squid

Ler conteúdo completo
Indicados para você