[ editar artigo]

Que tipo de conteúdo produzir em tempos de coronavírus?

Que tipo de conteúdo produzir em tempos de coronavírus?

O avanço da pandemia da covid-19 tem transformado a forma como as pessoas se relacionam e convivem umas com as outras. Além disso, mudou drasticamente a maneira de consumir produtos e serviços. 

O consumo de internet fixa por exemplo, subiu cerca de 40% em apenas 3 dias de quarentena. Grandes players de streaming tiveram que diminuir a qualidade dos vídeos para dar conta da alta demanda, como Netflix, Amazon Prime, Youtube e Globoplay.  

As compras pela internet também cresceram 40% nos primeiros 15 dias de março, segundo dados do Compre e Confie, empresa especializada em inteligência de mercado focada em e-commerce.

Neste universo de consumo de conteúdo marcas e creators também precisam se adaptar para uma nova realidade. Pessoas que estão ficando em casa e consumindo internet full time. Esta é uma excelente oportunidade para marcas ajudarem comunidades na sensibilização a respeito da pandemia, e pequenos creators suportarem pequenas empresas para que elas consigam se reinventar e manter-se ativas economicamente e combater o desaparecimento delas ao longo do tempo. 

Neste artigo listei o que marcas e criadores de conteúdo podem fazer para usar este momento para educar, sensibilizar e movimentar a economia. Vamos lá?

 

Como marcas podem criar e se posicionar sobre o coronavírus?

Para marcas, este momento é super importante para reafirmar seu propósito. 

Mostra como os valores da marca se alinham com a situação que o país e o mundo vivem. Se a marca se propõe a transformar à educação, de que maneira ela consegue auxiliar estudantes e instituições de ensino? Se é levar mais saúde, como ela pode tornar as ações de prevenção mais efetivas?

É fundamental que o propósito seja verdadeiro e refletido nas ações da marca antes mesmo da pandemia. Caso soe fake, o posicionamento pode não ser bem recebido e trazer um efeito contrário na percepção de marca aos consumidores. 

Vamos aos exemplos de marcas que tem se posicionado com maestria em meio à pandemia da covid-19.

 

Mercado Livre solta as mãos, por enquanto 

Para conscientizar os consumidores a respeito da prevenção à Covid-19, o Mercado Livre mudou sua identidade visual. À ação temporária tem o como mote "Juntos. De mãos dadas, ou não", incentivando o consumo responsável, fazendo com que os consumidores não comprem além do necessário. 

A mudança na marca trocou o tradicional aperto de mão, por um contato entre cotovelos, com o objetivo de sensibilizar sobre a transmissão do novo coronavírus.

Além da ação, o marketplace criou uma página dentro do site com  produtos de higiene e um FAQ com as principais dúvidas dos consumidores do que fazer ao receber uma entrega, como por exemplo, manter distância de pelo menos um metro do entregador e lavar bem as mãos depois de receber e abrir uma embalagem.

 

O Home Office da Lu, do Magalu

Até a Lu, do Magazine Luiza está trabalhando de casa. Por meio das redes sociais a marca tem se posicionado para incentivar o uso do app e do site da marca, para que os consumidores evitem aglomerações em lojas (que estão fechadas). 

Além disso, vários conteúdos de informação e sensibilização a respeito das medidas preventivas como lavar as mãos e manter-se isolado. Com o #LuExplica são tiradas dúvidas sobre “como evitar fake news”, ou “como rotear internet do celular para o computador?”.

As lives do #CeAemCasa

Após comunicar as ações que foram tomadas para combater o coronavírus, como fechamento de lojas, trabalho home office, e o cancelamento de viagens e eventos, a multinacional de varejo C&A tem usado o Instagram para entreter os seguidores por meio de lives diárias sobre bem-estar e saúde mental 

Para o #CeAemCasa, foram convocados creators como Madama @br000na, celebridades como Lorena Improta,  e profissionais da saúde, como especialistas em aromaterapia, yoga e treinos funcionais. A previsão é que as lives durem enquanto durar o período de isolamento. 

 

Como creators estão criando conteúdo em meio à pandemia do novo coronavírus?

Os creators estão fazendo aquilo que sabem fazer de melhor: criar. Neste momento são vários os temas e assuntos que podem ser abordados pelos influenciadores digitais. 

A comunidade de criadores tem produzido conteúdos que vão desde a sensibilização até o entretenimento das famílias que, por adotarem medidas de prevenção, tem passado 24 horas em casa e grande parte deste período conectadas à internet. 

Para entregar conteúdos de relevância e que de fato impactam a vida da audiência, é fundamental que os creators saibam de que maneira o conteúdo feito por eles podem ajudá-la. O conteúdo precisa soar familiar com aquilo que o creator já fazia antes da pandemia para não parecer algo forçado ou oportunista em meio à crise que a população mundial enfrenta. 

Vamos aos exemplos de criadores que tem usando este momento como uma oportunidade de estreitar os laços com sua audiência e oferecer novos conteúdos. 

 

Conteúdos para sensibilizar e acalmar

Em meio ao caos muitos influenciadores estão criando conteúdos que sensibilizem suas audiências  com relação às principais recomendações da Organização Mundial de Saúde, infectologistas e especialistas em saúde pública  para combater ao vírus, como lavar as mãos e ficar de quarentena. 

Gabi Oliveira, do @gabidepretas tem usado o Instagram para promover informações oficiais e de prevenção, além de apoiar iniciativas que auxiliem pessoas em vulnerabilidade social à enfrentarem a pandemia. 

Além disso, com tantas informações disponíveis e atualizadas com tanta constância, a saúde mental dos seguidores é outro tópico que tem mobilizado os criadores. Houve um aumento também em conteúdos que ajudem a acalmar os ânimos e levar os seguidores a darem uma pausa em meio ao tsunami de informações. 

Carla Lemos, do @modices usa o Twitter e o Instagram para publicar mensagens de apoio e ajuda. 


 

Camila Coutinho e o GE Festival

Uma das primeiras iniciativas no Instagram foi o Garotas Estúpidas Festival capitaneado pela criadora do portal, Camila Coutinho. 

A proposta do evento online é oferecer momentos de entretenimento aos seguidores com shows, aulas de culinária, treinos funcionais, dentre outros. Foram convidados, os cantores Silva e Giulia,  a humorista Monica Martelli, a chef Bela Gil, e um time de especialistas em bem-estar, como Stephen Little, especialista em Mindfulness, Milla Monteiro, profissional de Yoga, e a educadora física, Cau Saad.

 

O time Brunch e as campanha grátis para pequenos produtores 

Com a crise do coronavírus vários eventos foram cancelados, dentre eles a Feira Sabor Nacional, que ocorreria entre 14 e 15 de março no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo.

Uma ação desenvolvida pela agência Brunch,  especializada em influencer marketing, visa minimizar os prejuízos dos quase 90 produtores que correm o risco de perder suas mercadorias.

A agência Brunch juntou um time de influenciadores para ajudar na causa por meio de sua influência na internet criando conteúdos gratuitamente, para ajudar os pequenos produtores a vender seus produtos e salvar o estoque encalhado. 

Dentre os creators convocados, estão nomes como Nath Finanças, Marimoon, Blogueira de Baixa Renda, Dora Figueiredo, Ale Santos, Rosana Hermann, Apto 202, Backhand na Paralela, Blog do Math, Carla Lemos, Casal à Obra, Casal Tech, Denis Pagani, Devaneios, Julia C Forti, Kaique Brito, Larissa Vaiano, Passa em Casa, Sundaycooks, Ter.a.pia, Thais Godinho e Tô de Folga.

 

O poder da colaboração e das lives no Instagram

O Instagram é sem dúvidas uma das principais redes sociais quando o assunto é criação de conteúdo. Não é por acaso que segundo dados da pesquisa do Instituto Qualibest em parceria com a Spark, mostra que na relação proporcional entre as redes que as pessoas acessam diariamente versus redes que elas usam para seguir influenciadores digitais, o Instagram fica em primeiro lugar com 89%.

Apesar do YouTube ter mais acessos, o Instagram está praticamente passando à frente como o canal preferido dos brasileiros para acompanhar influenciadores. 89% das pessoas que acessam o Instagram também usam essa mesma rede para seguir algum influenciador.

Por este motivo, em meio à pandemia da covid-19 vários criadores estão usando a rede social para informar e entreter por meio de uma funcionalidade que não era tão explorada antes da crise, as lives. 

Muito usada por especialistas de marketing, a funcionalidade tornou-se uma das principais ferramentas para estreitar a distância entre criadores e audiência. 

Em meu perfil no Instagram, @eugleidistone durante toda essa semana tenho feito lives em parceria com outros criadores sobre assuntos diversos para informar e entreter. Os temas vão desde criação de conteúdo para internet a educação financeira.  

 

A cantora Anitta tem feito lives diárias no Instagram durante o período de quarentena. Com a agenda de shows congelada em função da pandemia, Anitta juntou-se a profissionais autônomos que sofreram com menos trabalho e clientes, dando mais visibilidade a eles, por meio de sua comunidade de fãs. A programação é dividida em treinos funcionais pela manhã, receitas no período do almoço e aulas de francês à noite. 

São muitas ações e iniciativas que mostram que mesmo em meio à adversidade é possível criar, informar e sensibilizar por meio de conteúdo de qualidade. É momento de se reinventar e usar todo o poder, seja de marca ou de influência, para ajudar a população. 

Como você tem criado conteúdo para este período? Compartilhe nos comentários deste post!

 

#ClubedaInfluência
Gleidistone Silva | @eugleidistone
Gleidistone Silva | @eugleidistone Seguir

desenvolvo o posicionamento digital de marcas e influenciadores por meio do planejamento, produção e curadoria de conteúdo. publicitário que também é: um pouco designer, social media, copywriter, produtor, videomaker, pesquisador e rp. ;)

Ler conteúdo completo
Indicados para você