[ editar artigo]

Transformando comentários negativos em ideias

Transformando comentários negativos em ideias

Quem nunca foi criticado na ‘internet’ enquanto criador de conteúdo, que atire o primeiro mouse. A própria natureza da internet, com possibilidade de semianonimato por parte dos viewers ​ pode gerar situações desconfortáveis para os criadores de conteúdo.

Ao longo de mais de 10 anos como criador de conteúdo, eu já tive a infelicidade de esbarrar com pessoas provavelmente infelizes também, que descontaram suas frustrações em alguém que não tinha nenhuma relação com o real problema delas.


Apesar das situações chatas, lidar com críticas é uma parte essencial deste tipo de trabalho, (com exceção para grande artistas, que geralmente contam com  assessores de imprensa ou algo do tipo). Os criadores da internet, youtubers, instagrammers, entre outros, acabam recebendo todas as críticas diretamente, e precisam lidar com isso da melhor forma que puderem, muitas vezes recebendo uma pancada no emocional, enquanto precisam sorrir para gravar o próximo vídeo.


O que grande parte dos criadores faz é simplesmente ignorar tais comentários, banir essas pessoas dos seus canais ou o que é pior, eventualmente sair discutindo diretamente na sessão de comentários do seu conteúdo, contaminando outros seguidores e criando um ambiente que pode ser hostil para as outras pessoas.


E se eu te dissesse que todo comentário negativo ​ pode​ ser uma coisa boa?

Separar comentários negativos de insultos

Eu realmente tenho a intenção de te mostrar como esses comentários, que às vezes podem parecer maldosos, na verdade, são uma grande arma do criador de conteúdo, porém, é preciso diferenciar comentários negativos, de insultos.


Apesar de eventualmente parecerem a mesma coisa, insultos e comentários negativos não tem necessariamente o mesmo teor. Insultos são geralmente direcionados a uma pessoa, comumente ao criador de conteúdo, e possuem críticas vazias, como “​seu cabelo é feio ​”, “ corta essa barba”, “​qualquer idiota faz isso” ​, isso só para citar algumas “pérolas” que aparecem por aí, sem contar os palavrões, acho que os criadores já entenderam a ideia.


Essas falácias argumentativas geralmente aparecem quando o comentarista discorda veementemente de você, mas não possui argumentos efetivos para lhe contrapor, só lhe restando tentar desvalidar as suas colocações usando argumentos que em nada tem a ver com o que está sendo falado no vídeo. Atacando o mensageiro, não a mensagem. Pessoas assim podem realmente ser tóxicas, sobretudo com outros seguidores do canal, e pode ser
uma boa ideia ocultá-las ou bani-las pelo bem da sua comunidade.


Comentários negativos, por outro lado, podem ou não conter insultos, mas eles são especialmente úteis, pois eles dizem muitas vezes o que parte da audiência também sente, mas não tem coragem de dizer ou não se sente confortável para dizer. E este é o seu grande trunfo.

Ter haters pode ser uma coisa boa

O que chamamos de “hater”, ou “odiador” em Português, é aquele tipo de seguidor que constantemente tece comentários negativos no seu conteúdo. Não importando o que você publique, esse tipo de pessoa não precisa nem mesmo consumir o conteúdo para “saber que não presta”, afinal, o simples fato de ter sido você o criador do conteúdo, já o torna “ruim” automaticamente.


Apesar de desejar ajuda psicológica para essas pessoas, do ponto de vista de negócio, seus ​ haters ​ são os seus maiores fãs.

Pense bem, eles estão sempre lá, em todo conteúdo, interagindo, gerando engajamento, ainda que não seja dos mais positivos, e comumente eles são os primeiros a chegar em um novo conteúdo também, eles são seus fãs!


Possuir ​ haters ​ também pode ser indício de popularidade. Você só vai possuir ​ haters ​ se fizer algo significativo, que toque as pessoas.

Como dizia a minha avó:

“​ prego que se destaca, leva martelada ” ​

Este sábio dizer ancestral significa simplesmente que ganhar notoriedade te expõe a opinião pública, em outras palavras, se você não tem ​ haters ​ ainda, é porque o sucesso ainda está por chegar. Se você já tem, parabéns! Você é uma pessoa relevante, ao menos, este é um dos indícios claros, afinal, ninguém critica algo que não importa, algo que não impacte de alguma forma.

O que eu posso dizer? Vovó tinha razão afterall.


Canalizando críticas


Esqueça por um segundo as palavras ríspidas que foram ditas para você através de um comentário que parece maldoso a primeira vista. Por trás de um comentário assim, tem sempre muito mais história.


Quando alguém comentar algo negativo sobre o seu conteúdo, ou sobre você, isso significa que houve ​ uma quebra de expectativa​ .


Como assim?


Imagine que você tem um canal de culinária, mas depois de “tanto tempo” fazendo receitas deliciosas como seu conteúdo principal, você decidiu expandir e mudar um pouco, você cresceu, evoluiu, e o seu canal ou rede social acompanhará o seu crescimento, dessa forma, você começa a adicionar conteúdos um pouco diferentes da culinária, fazendo ​ daily vlogs, falando sobre estilo de vida, e assim por diante.


Você está em transição com o conteúdo do seu canal, e esse tipo de coisa não só é muito comum, como extremamente natural. Em um dos seus conteúdos recentes, que você colocou muito carinho para realizar, como sempre, alguns comentários negativos surgem:
“​ Eu me inscrevi no canal por causa dos vídeos de culinária, agora o fulano(a) de tal perdeu completamente a noção e acha que é blogueirinho(a) ” ​ .


Essa é a quebra de expectativa. Quando os seus seguidores esperam um determinado assunto ou comportamento da sua parte, e isso não acontece. Claro, esse exemplo de um conteúdo transicional é realmente, só um exemplo. Quebras de expectativa podem ocorrer o tempo todo, e elas não são necessariamente ruins. Você pode surpreender as pessoas positivamente quebrando a expectativa delas, mas infelizmente, você só vai poder saber se essa quebra será bem recebida, depois da publicação.


Se, acompanhado a comentários negativos, você acaba percebendo uma redução de visualizações também, é sinal de algo está errado, você está interessando menos o público, e as pessoas que quiseram dar uma chance ao seu conteúdo novo não estão satisfeitas.


Se você já sofreu muito com comentários maldosos, é normal que ao longo do tempo você fique desconfiado e passe a ignorar qualquer comentário negativo que apareça, criando uma “casca-grossa” para te proteger mentalmente, mas alguns deles podem nos dar indícios, ideias e caminhos diferentes a se seguir.


Sempre valorize quem critica de forma construtiva, e até mesmo considere que as pessoas que não pareceram tão construtivas assim, podem simplesmente não serem boas em comunicação e estarem tentando expressar o seu descontentamento em prol de alguma mudança que só você pode fazer no conteúdo.

Por trás de uma pessoa que reclamou, é possível que existam várias que não disseram nada, mas que simplesmente deixaram de acompanhar o seu trabalho, o que, com certeza, não é o que você gostaria. Sobretudo, do ponto de vista de um negócio, cada seguidor é um cliente.


Observando o teor das mensagens, deixando xingamentos de lado, você verá que existe ali um fã que está insatisfeito com os rumos atuais do seu trabalho, talvez por não saber o que você pretende fazer, e por que pretende fazer, ou pode ser que ele simplesmente gostava mais de ver você fazendo algum outro conteúdo.


Se você sabe para onde quer ir, fazer mudanças no conteúdo, significa deixar pessoas para trás muitas vezes, com sorte, em prol de conseguir uma audiência ainda maior por conta dessa mudança. Frustrar algumas pessoas nesse processo é natural, mas é importante fazer com que qualquer transição seja suave, muitos admitem gostar de mudança, mas a verdade é que seres humanos são rotineiros e gostam quando as coisas são previsíveis.


Até quem diz que não gosta de rotina e vive fazendo coisas diferentes, se colocou, na verdade, numa rotina de fazer coisas diferentes, a previsibilidade é que ela não saberá o que vai fazer no dia, paradoxalmente.


São pequenos sinais que (seguindo o nosso exemplo) a mudança do conteúdo esteja muito brusca, quando “do nada” você deixou de fazer o conteúdo que trouxe você até aqui. Pode ser também o caso de que faltou comunicação para que o público entendesse o motivo da mudança e quem sabe embarcasse nela com você. Quando alguém te diz algo que não gosta, automaticamente ela te diz o que ela gosta​ , é só prestar atenção, e você pode usar essa informação para criar um conteúdo mais assertivo, mesclando elementos que agradem a maior parte, visto que, com se sabe, nunca será possível agradar a todos.


Registrando ideias de forma eficiente


Não basta reconhecer ideias através comentários, sejam eles positivos ou negativos, é necessário registrar, catalogar. Informação organizada é uma arma para a criatividade, especialmente para os criadores que passam por bloqueios criativos ocasionalmente.


A forma ideal de armazenar uma ideia que você tenha através da resposta do seu público, seja ela negativa ou não, é digitalmente, sem dúvidas. Usar aplicativos para fazer anotações, como o Notion, Simplenote e Trello, para organizar ideias e projetos, pode ser muito poderoso, especialmente porque você pode fazer anotações no seu Smartphone e depois acessá-las no seu computador.


Independente do aplicativo ou método que você escolha, a ideia precisa estar acompanhada de algumas coisas para te ajudar a criar o conteúdo depois, a dica é anotar uma sequência de informações que te ajudará no longo prazo a executar um projeto de forma eficiente.


Se um seguidor seu comentou no seu conteúdo e acabou lhe gerando uma ideia, a sua anotação pode conter informações relacionadas, links de pesquisa, e perguntas como:

  • Como executar essa ideia?
  • Quem é conhecido por usar isso?
  • Porque as pessoas preferem isso e não outra coisa?
  • Qual conteúdo eu tenho que se relaciona com isso?
  • Existe algum conteúdo que complementa essa informação?

Entre outras perguntas, o ideal é que ao ler novamente a sua anotação, você não tenha apenas uma frase ou palavra solitária, que com sorte despertará um gatilho de pensamentos, mas sim toda uma teia de informações, que só precisará ser preenchida ou posta em ordem, e o conteúdo estará quase pronto.


Para exemplificar, darei exemplo real que aconteceu com o meu canal no YouTube, quando falamos sobre assunto de VPNs.


Os aplicativos de VPN são utilizados geralmente como uma forma de conexão entre servidores de forma paralela a "internet tradicional", habilitando alguns recursos interessantes. Tecnicalidades à parte, que não são interessantes para o assunto de hoje, eventualmente um inscrito do canal disse que “​ odiava youtubers que falavam de VPNs ”, e nessa hora eu pensei: “​Bom, é exatamente sobre isso que eu preciso falar! ​

As pessoas “odeiam” as coisas por motivos diferentes, mas notoriamente, um dos maiores motivos é a falta de conhecimento sobre um assunto. Seria eu capaz de fazer com que até pessoas que pensam assim achassem o vídeo útil?


Usando um elenco de perguntas em torno do tema “VPN”, e me perguntei, qual seria a melhor forma de executar essa ideia? Quem já fez conteúdo sobre isso e é referência?
Por que algumas pessoas querem usar VPN, enquanto outras abominam? Eu já tenho algum conteúdo relacionado ao assunto? (Nesse caso o assunto seria segurança digital.) E por fim, que conteúdo pode complementar este?


Essa simples ideia gerou vídeos teóricos sobre "o que é e como funciona uma VPN", "como se instala uma VPN", "como se usa uma VPN" e vídeos sobre segurança digital e privacidade, todos com bastante acessos, para os meus padrões, claro.


Provavelmente o assunto reflete até hoje no conteúdo do canal, e o vídeo sobre “o que é uma VPN” é um dos mais vistos entre os nossos conteúdos, com mais de 1 Milhão de visualizações.


Uma ideia bem organizada vale por duas (ou por mais), afinal, dela podem ser geradas
muitas outras, e muitas dessas ideias​ vieram de comentários negativos​ .


Um dia alguém comentou ​ “do que adianta ensinar o que é VPN, ninguém sabe usar direito essa ‘bos..lacha' ​". Que fique claro, ele não realmente disse “boslacha” como você deve imaginar, mas semanas depois estava eu com um vídeo, patrocinado inclusive, falando como se usa uma VPN.


Saúde mental

Apesar de termos passado os últimos parágrafos falando sobre criação, o cerne todo da questão é a canalização de comentários negativos em algo positivo.


Infelizmente pessoas maldosas sempre existirão, e dependendo da sua sorte ou azar,  algumas delas podem esbarrar no seu conteúdo. Seu dever como criador é manter a sua comunidade saudável, banindo os usuários mais tóxicos, sabendo separar críticas, ainda que nem sempre tão construtivas, mas ainda úteis, de comentários puramente depreciativos.


Não leve as críticas que receber para o lado pessoal, a maior parte das pessoas que comentam não realmente te conhecem pessoalmente, a única informação que elas tem é a sua versão digital que aparece em um vídeo, foto ou texto por alguns instantes, e todo o julgamento é feito sobre isso.


A saúde mental dos criadores de conteúdo é algo tão sério que o próprio YouTube já iniciou diversas campanhas auxiliando criadores a lidar com ​ burnouts ​ , síndrome do impostor e pessoas tóxicas de todos os tipos, muitas vezes, ter a companhia de um profissional da psicologia pode te ajudar a manter o equilíbrio.

Além de ajuda profissional, existem diversas atividades que podem te ajudar a ter uma mente mais saudável. A prática de meditação é uma dessas atividades, é completamente grátis e possui muito conteúdo para iniciantes na internet, incluindo aplicativos que te guiam nos seus primeiros passos e experiências. Acompanhado a isso, alguns exercícios físicos, ainda que simples, e que podem ser feitos em casa, ajudam também a diminuir o estresse.


Criar conteúdo é se comunicar com as pessoas, e para boa comunicação, é preciso desenvolver habilidade de empatia e entendimento, saber se colocar no lugar do seu seguidor e tentar ver o mundo como ele vê, isso lhe ajudará a ter uma perspectiva diferente, muitas vezes as pessoas terão comentários e opiniões sobre você, pelo simples motivo de você estar em pauta, e as opiniões nunca serão 100% acuradas, pelo simples fato das pessoas não serem você, ou seja, de não terem as informações que você tem.


Da mesma forma que há pessoas que não te conhecem e dizem te “odiar”, outras dizem te “amar”, e o meio dessa relação (o meio digital) é o mesmo, por isso não se deslumbre,
mantenha-se focado nas pessoas boas da sua comunidade, que eu tenho certeza que são a maioria, e use os comentários negativos para melhorar e se tornar uma pessoa ainda mais forte. Usar a regra de deixar o lugar onde você entrou ainda melhor quando você estiver saindo, ainda é uma boa prática, especialmente se esse lugar for a sua sessão de comentários.

 

#ClubedaInfluência
Dionatan Simioni
Dionatan Simioni Seguir

Empreendedor digital há mais de 10 anos, criei vários projetos para internet, sendo reconhecido pelo projeto Diolinux, uma empresa de mídia que produz canais no YouTube, blogs, podcasts e redes sociais sobre tecnologia, especialmente open source.

Ler conteúdo completo
Indicados para você